“Eu vejo flores em você”

Todos nós temos por hábito, gostarmos mais de um determinado tipo de flor, ou de cor, ou sabor, ou lugar, ou objeto. Eu, por exemplo, gosto da Helo Kitty (e não me envergonho disso), rosa, cachorro, maracujá e GIRASSÓIS. Talvez eu goste de girassóis por me identificar com eles, por estar procurando meu lugar ao sol, talvez por gostar de luz, ou de amarelo, ou talvez, eu não tenha motivo algum para gostar.

Como não somos sozinhos neste mundo, e por saber que, assim como eu, provavelmente, mais pessoas devem gostar de girassóis, logo imaginei em escrever mais sobre o tema e que seria interessante abordar o tema, pois tem tudo haver com o nome do blog.

O girassol é originário da América do Norte e Central, era cultivado pelos indígenas para alimentação, floresce o ano inteiro e pertence à família das Asteraceae (o que significa que é parente da margarida e do alface). Seu nome científico é Helianthus annuus (flor do sol), se reproduz por polinização e tem entre 2 a 3 metros. Com seus frutos, popularmente chamados de semente é produzido o biocombustível, servindo também para alimentação humana e como ração para passarinho. Com o desenvolvimento da variedade de tamanho de mini-girassóis, a planta começou a fazer parte de ornamentações, arranjos e decorações.

O girassol está ligado à idéia de amor, felicidade, longevidade, lealdade, devoção, calor e conforto. Isto pode ser por adotar o comportamento vegetal conhecido como heliotropismo, ou seja, “gira” no caule de maneira a estar sempre voltado para o sol.

Para quem gosta de música e quer ouvir algo com o tema, há composições para todos os estilos e ritmos. A banda Ira! – “O Girassol”, Cássia Eller – Girassóis, Cidade Negra – Girassol, Nenhum de Nós – Um girassol da cor do seu cabelo, Alceu Valença – Girassol, Leila Pinheiro – Catavento e girassol, Olodum-Girassol.

Na arte, foram vários os pintores que retrataram a flor, o exemplo mais conhecido e que também, deu título a este blog, são os quadros de Van Gogh, mas existem outros como os quadros de George Leslie Dunlop, Jacob Maris, Sir Anthony van Dyck, George Frederic Watts.

Foi inspirada na idéia de lealdade, brilho e fugacidade da vida que este blog de jornalismo foi criado. Onde houver sol, turismo, jornalismo, ou assuntos de interesse coletivo, é com certeza para onde minha vida estará apontando.

Veja o vídeo
Veja mais em: http://bit.ly/dhOcRF

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: